0 Item
(41) 3023-0800

Este vídeo demonstra como diagnosticar recessões em implantes e como tratar quando indicado (Tratamento de Recessões Gengivais).

Quando implantes ficam visíveis

RECESSÕES EM IMPLANTES

dental implant failure symptoms 1 300x199 - RECESSÕES EM IMPLANTES - O QUE FAZER?

Por que os meus implantes são visíveis? (RECESSÕES EM IMPLANTES)

Os implantes ficam visíveis quando não estão circundados por ossos e a gengiva está em contato direto com o implante. Implantes visíveis…

  • interferem na estética do seu sorriso.
  • podem provocar complicações como, por exemplo, uma lesão mecânica do tecido ou inflamações.
  • podem perder a estabilidade, o que causa problemas na mastigação.
  • podem ter um reduzido tempo de vida útil.

Como estes defeitos ósseos podem ser tratados?

Há duas situações clínicas em que os implantes podem ficar visíveis: o defeito ósseo é visível através de uma “janela” ou a parte exterior do implante não é circundada por ossos e apresenta um defeito semelhante a uma cratera.

Se a perda óssea não está relacionada com uma infecção (peri-implantite), a restauração óssea pode ser realizada com biomateriais Geistlich, sem que o implante tenha que ser removido.

Se a perda óssea ocorrer devido a uma infecção, será necessário eliminar a inflamação em forma de uma placa bacteriana da superfície do implante, antes de iniciar a restauração do osso e do tecido mole.

 

RECESSÕES EM IMPLANTES

A  implantodontia evoluiu muito nas últimas décadas, embora a presença de tecido duro e mole adjacente à área do implante ainda sejam fatores limitantes na previsibilidade estética da Reabilitação Oral. Para solucionar tal deficiência de tecidos, dispomos atualmente de diversas técnicas, entre elas o uso de enxerto ósseo autógeno (EOA) para correção óssea e o uso de matriz dérmica acelular (MDA) para correção de tecido mole. Caso Clínico:Paciente jovem apresentando agenesia dos incisivos centrais inferiores, osso alveolar delgado e recessões gengivais foi encaminhado a clínica. Foi planejada correção com enxertia óssea, retirado da região retromolar, e uso de matriz dérmica acelular, prévia para aumento de espessura óssea e recobrimento radicular. Após 6 meses realizou-se a reabertura e instalação do implante. Esperou-se 4 meses para osseointegração para colocação do cicatrizador e posterior confecção de prótese. O resultado foi recobrimento da recessão gengival e aumento da espessura óssea. Conclui-se que a realização conjunta de EOA e MDA é procedimento previsível

WhatsApp chat