0 Item
(41) 3023-0800

Este vídeo tem como objetivo desmistificar o ecobrimento radicular quanto as dúvidas que profissionais possam ter quanto à percentagem para cada caso. (Tratamento de Recessões Gengivais)

1.2 – Retração de Gengiva (RECOBRIMENTO RADICULAR)

Você já ouviu falar em “gengiva retraída”?

A gengiva retraída ocorre quando o tecido gengival se retrai, fazendo com que a raiz dos dentes fique exposta, trazendo consequências a toda região bucal.
Esse processo deixa a área sensível, e faz com que o dente perca o tecido saudável em torno dele.

O tratamento de retração gengival,
quando bem indicado,
tem resultados excelentes.
“Dr. Ricardo Gapski”.

Graft1 - RECOBRIMENTO RADICULAR
Before Gum 
Graft2 - RECOBRIMENTO RADICULAR
Graft Surgery

Gum grafts can be used to cover roots or develop gum tissue where absent due to excessive gingival recession. During gum graft surgery, your periodontist takes gum tissue from your palate or another donor source to cover the exposed root. This can be done for one tooth or several teeth to even your gum line and reduce sensitivity.

WHAT ARE THE BENEFITS OF GUM GRAFT SURGERY?

A gum graft can reduce further recession and bone loss. In some cases, it can cover exposed roots to protect them from decay. This may reduce tooth sensitivity and improve esthetics of your smile. Whether you have a gum graft to improve function or esthetics, patients often receive the benefits of both: a beautiful new smile and improved periodontal health – your keys to smiling, eating and speaking with comfort and confidence.

source: https://www.perio.org/consumer/gum-graft-surgery

7. Opções Terapêuticas

(RECOBRIMENTO RADICULAR)

O tratamento de recessões gengivais simples ou múltiplas pode ser efetuado, de acordo com a literatura, através de inúmeras técnicas cirúrgicas com maior ou menor previsibilidade de resultados. A utilização de retalhos simples ou combinação  estes com enxertos, materiais ou fatores biológicos estão documentados. As técnicas incluem fundamentalmente: retalhos pediculados; enxertos de tecido mole autógeno; regeneração tecidular guiada e modeladores biológicos (ex: Proteinas Matriz  e esmalte). O grupo dos enxertos de tecido moles autógeno (proveniente do próprio  individuo) pode ser dividido em enxertos gengivais livres epitélio-conjuntivo e enxertos de tecido conjuntivo sub-epitelial. (Hagewald et al., 2002; Karring, 2008)  Entre as várias técnicas disponíveis, as técnicas mais vulgarmente utilizadas para proceder ao recobrimento radicular são os retalhos pediculados nomeadamente o retalho  de reposicionamento coronal ou os enxertos de tecido conjuntivo sub-  piteial, na qual se  combina o retalho de reposicionamento coronal com o enxerto de tecido conjuntivo. No  sentido de aumentar a eficácia do recobrimento radicular e de reduzir a morbilidade das  técnicas surge a associação das PME ao retalho de  eposicionamento coronal e/ou   enxerto de tecido conjuntivo. (Karring, 2008) O objetivo principal dos procedimentos de recobrimento radicular prende-se com a  reconstrução das estruturas anatómicas e pode ser interpretado através de uma  perspetiva clinica e biológica. Do ponto de vista clínico, o sucesso do tratamento pode  ser verificado quando são atingidos os seguintes objetivos: recobrimento até à junção  amelo-cimentaria (JAC), profundidade de sondagem inferior a 2 mm,  usência de   Técnicas de Recobrimento Radicular  – 11 –  hemorragia à sondagem, banda adequada de gengiva queratinizada (≥3mm), morfologia fisiológica da gengiva, diferença mínima de coloração da gengiva local adjacente. Do  ponto de vista  istológico, o objetivo é alcançar uma adesão através de um regeneração  periodontal com a formação de novo cimento, ligamento periodontal e osso alveolar.  Contudo, este objetivo deve ser entendido como ideal pois até à data não esta  comprovado que os resultados clínicos de sucesso estejam necessariamente relacionados  com a regeneração periodontal. Também é de esperar que o recobrimento clínico completo ou parcial seja acompanhado de uma cicatrização através de um  pitélio  funcional ou de uma adesão de tecido conjuntivo. (Cueva et al., 2004) 7.1 Retalho de Reposicionamento Coronal (RRC)  O grupo de retalhos de reposicionamento coronário constitui um conjunto de técnicas diversificadas e das mais  tilizadas   os diversos tipos de defeitos gengivais. Esta técnica é definida como o deslocamento vertical do tecido gengival numa direção coronal para cobertura da recessão gengival. Entre os enxertos pediculados, este  procedimento é o mais  imples de realizar tanto para o paciente como para o clínico.  (Castellanos et al., 2006; Alkan et al., 2011)  

WhatsApp chat