Instituto Ricardo Gapski | Periodontia Curitiba

fone-ricardo-gapsk-completoi      whatsapp-ricardo-gapsk-completoi

Periodontia – Curitiba – ENXERTO GENGIVAL LIVRE

Periodontia – Curitiba – ENXERTO GENGIVAL LIVRE (EGL)(LINK)

Quando é diagnosticado uma recessão com papilas ausentes (perda de inserção proximal) e sem tecido certatrinizado, os resultados para recobrimento são contraindicados. Isto porque a inexistência da papila faz com que não tenhamos o arcabouço para suturar coronalmente. A literatura indica que o mínimo necessário de tecido queratinizado para se ter saúde no local é de aproximadamente 2 mm (1). Entretanto, outros estudos demonstraram que é possível manter saúde em áreas com pouco níveis de tecido queratinizado por longos períodos (2-4). Entretanto, estes estudos concluíram um controle de placa adequado por parte do paciente é imperativo para que recessões não ocorram. Além disso, a presença de restaurações subgengivais em áreas com pouco tecido queratinizado podem causar recessões gengivais futuras(5). Portanto, quando se nota pouco tecido queratinizado associado à uma recessão, controle de placa inadequado com tecidos inflamados, com restaurações subgengivais, presença de freios ou escovação com excessiva força no local(6), é indicado a técnica de enxerto gengival livre. Este enxerto se difere do enxerto de conjuntivo pois é removido na área doador ambos epitélio e tecido conjuntivo.

A técnica, com maior embasamento literário, previsível e mais simples é o EGL (em inglês FGG). A função primária do enxerto gengival livre é de prevenir que a recessão progrida com o ganho de tecido queratinizado. Este enxerto deve ser feito de modo que na sua finalização, não apresente mobilidade. Acima de tudo não deve ser utilizada para recobrimento radicular.

Esta técnica tem respaldo científico muito amplo (3-13). A técnica inicial de posicionar foi incialmente descrita por Bjorn em 1963 e posteriormente reportada por Sullivan & Atkins (9, 14, 15). A grande vantagem do enxerto gengival livre, além de ser muito previsível, é que, assim como o enxerto subepitelial ter um comportamento de recobrir mais durante o primeiro ano, chamado creeping attachment (16). Neste estudo demonstrou um recobrimento, mesmo que esta técnica não seja indicada para isso, Matter & Cimasoni um recobrimento coronal do enxerto de 0.8-1.2 mm o nos dois primeiros anos de cicatrização.

Referências

  1. Lang NP, Loe H. The relationship between the width of keratinized gingiva and gingival health. J Periodontol. 1972;43(10):623-7.
  2. Wennstrom JL. Lack of association between width of attached gingiva and development of soft tissue recession. A 5-year longitudinal study. J Clin Periodontol. 1987;14(3):181-4.
  3. Freedman AL, Green K, Salkin LM, Stein MD, Mellado JR. An 18-year longitudinal study of untreated mucogingival defects. J Periodontol. 1999;70(10):1174-6.
  4. Freedman AL, Salkin LM, Stein MD, Green K. A 10-year longitudinal study of untreated mucogingival defects. J Periodontol. 1992;63(2):71-2.
  5. Ericsson I, Lindhe J. Recession in sites with inadequate width of the keratinized gingiva. An experimental study in the dog. J Clin Periodontol. 1984;11(2):95-103.
  6. Gorman WJ. Prevalence and etiology of gingival recession. J Periodontol. 1967;38(4):316-22.
  7. Dordick B, Coslet JG, Seibert JS. Clinical evaluation of free autogenous gingival grafts placed on alveolar bone. Part II. Coverage of nonpathologic dehiscences and fenestrations. J Periodontol. 1976;47(10):568-73.
  8. Dordick B, Coslet JG, Seibert JS. Clinical evaluation of free autogenous gengival grafts placed on alveolar bone. Part I. Clinical predictability. J Periodontol. 1976;47(10):559-67.
  9. Gordon HP, Sullivan HC, Atkins JH. Free autogenous gingival grafts. II. Supplemental findings–histology of the graft site. Periodontics. 1968;6(3):130-3.
  10. James WC, McFall WT, Jr. Placement of free gingival grafts on denuded alveolar bone. Part I: clinical evaluations. J Periodontol. 1978;49(6):283-90.
  11. James WC, McFall WT, Jr., Burkes EJ. Placement of free gingival grafts on denuded alveolar bone. Part II: microscopic observations. J Periodontol. 1978;49(6):291-300.
  12. Sriwil M, Fakher MAA, Hasan K, Kasem T, Shwaiki T, Wassouf G. Comparison of Free Gingival Graft and Gingival Unit Graft for Treatment of Gingival Recession: A Randomized Controlled Trial. Int J Periodontics Restorative Dent. 2020;40(3):e103-e10.
  13. Oh SL, Masri RM, Williams DA, Ji C, Romberg E. Free gingival grafts for implants exhibiting lack of keratinized mucosa: a prospective controlled randomized clinical study. J Clin Periodontol. 2017;44(2):195-203.
  14. Sullivan HC, Atkins JH. Free autogenous gingival grafts. I. Principles of successful grafting. Periodontics. 1968;6(3):121-9.
  15. Sullivan HC, Atkins JH. Free autogenous gingival grafts. 3. Utilization of grafts in the treatment of gingival recession. Periodontics. 1968;6(4):152-60.

 

 

 

 

WhatsApp chat