0 Item
(41) 3023-0800

 

Este breve vídeo irá demonstrar como escolher e manipular enxertos de tecidos moles para recessões gengivais. (Tratamento de Recessões Gengivais)

MANIPULANDO TECIDO CONJUNTIVO

O resultado positivo das técnicas que utilizam o emprego do enxerto de tecido conjuntivo subepitelial para o recobrimento radicular pode estar diretamente relacionado com a observação dos princípios já referidos, todavia, em alguns pontos existem controvérsias entre os diversos autores.

Al-Zahrani & Bissada4, Allen8 e Nelson19 relacionaram a largura e a profundidade da recessão com a previsibilidade do enxerto, quanto mais larga e profunda menor a previsibili-dade. No entanto, Jahnke et al.20 não encontraram essa relação.

A relação entre o tamanho volumoso da papila com um melhor prognóstico do enxerto foi descrito por Miller13, todavia Jahnke et al.20 não alcançaram esse resultado.

Por meio dos estudos realizados por Wennströn1, Al-Zahrani & Bissadae Müller et al.21, comprovou-se que os fatores desencadeantes mais importantes da recessão gengival são a inflamação e a escovação traumática. Entretanto, Kallestal & Uhlin22 não conseguiram relacionar a escovação traumática com a perda de inserção, mas sim os fatores anatômicos como tecido alveolar fino, largura estreita da gengiva inserida e a presença de um posicionamento dentário inadequado.

Já o uso de agentes modificadores da superfície radicular foi defendido por Miller7, Harris11, Wikesjö et al.16, Jahnke et al.20 e Jepsen et al. 23, com os objetivos de remover o smear layer, alargar os túbulos dentinários, expor o colágeno e facilitar a nova inserção fibrosa. Outros estudos como o de Langer & Langer2, Nelson19, Zucchelli et al.9 e Raetzke15 alcançaram o sucesso sem mencionarem o uso da desmineralização proposta por Stahl et al.10 que tinha como objetivo expor o colágeno e facilitar o depósito de cemento devido à indução da diferenciação dos cementoblastos a partir das células mesenquimais dos tecidos adjacentes.

Miller24 descreveu que o enxerto deveria ser colocado na altura da junção amelocementária para se alcançar o recobrimento radicular total. Contrariando essa posição, Zucchelli et al.9 relataram um trabalho com enxerto de tecido conjuntivo colocado apicalmente à junção amelocementária no qual se alcançou sucesso com o procedimento.

Source: http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-86372010000100021&lng=en&nrm=iso

MANIPULANDO TECIDO CONJUNTIVO

 

WhatsApp chat