0 Item
(41) 3023-0800

Este vídeo da GOPERIO demonstra de uma forma simples e direta de como diagnosticar casos de perda óssea causada por lesão endodôntica, OU SEJA, A lesão Endo-Perio. Neste casos, portanto, serão discutidas as que são concomitante à lesão periodontal. Entretanto, este exame é minucioso e deve ser feito por um Periodontista. Finalmente, o seu Periodontista poderá fazer um correto tratamento de tais leões. https://institutorg.com

 

Lesão Endo-Perio

endodonto é representado pela: polpa, dentina, cavidade pulpar. Por isso, justificamos tal definição, mesmo embriologicamente, pois dentina e polpa têm origem no folículo dental, enquanto o cemento e o espaço periodontal se diferenciam a partir do saco embrionário (dental), em torno dos quais desenvolvem a parede e osso alveolar.

Assim sendo, dentina e polpa são considerados como aspectos diferentes de um mesmo tecido que mantêm entre si íntima relação histológica, fisiológica, histopatológica e fisiopatológica caracterizando o chamado complexo polpa dentina.

Dentina

17px Magnifying glass 01.svg - Lesão Endo-Perio - TratamentoVer artigo principal: Dentina

Cavidade pulpar

cavidade pulpar é o espaço presente internamente no dente. Assim, é limitado em toda sua extensão por dentina, exceto ao nível do forame ou foraminas, ou forames apicais. Portanto, tem forma aproximada do exterior do dente, não apresentando a mesma regularidade, por possuir saliências, reentrâncias e fendas.

Polpa

220px Root Canal Illustration Molar.svg - Lesão Endo-Perio - Tratamento

Esboço extremamente simplificado das etapas de um tratamento endodôntico

Introdução

polpa dentária é um tecido conjuntivo especializado, localizado no interior do dente, que está interligada de tal modo com o tecido duro que a enclausura (a dentina) . Por sua vez, é comum os especialistas a designarem de complexo dentina-polpa. Assim, ela é constituída por um tecido colaginoso frouxo. Incluindo artérias, veias, nervos, células de defesa, fibroblastosodontoblastos e células desdiferenciadas. Por isso, sua função primordial é tornar o órgão dentário reativo a estímulos (como agressões e mudanças de temperatura). Além disso, a polpa radicular se é coberta por uma camada denominada cemento, que é sustentada e liga através do forame apical, dos túbulos dentinários e canais laterais interligada ao Periodonto de sustentação, que são as estruturas que mantém o dente no seu alvéolo, dentre as quais, relaciona-se diretamente com o ligamento periodontal e o osso alveolar.

A inflamação e o processo de necrose pulpar – Lesão Endo-Perio

Em resumo, a inflamação é um processo biológico de resposta à estímulos agressores, que busca a sua eliminação e o reparo das estruturas submetidas. Postanto, suas características são evidenciadas tanto micro quando macroscopicamente.

Microscopicamente o dano celular ativa substâncias e que exercem função de intermediar, junto ao organismo, a presença de um dano, um corpo estranho ou uma substância estranha: são os mediadores químicos da inflamação. Por sua vez, esse é um processo muito complexo que envolve os leucócitos e sua capacidade de morfogênese e de migração para o local do estímulo inflamatório.

Macroscopicamente temos o aspecto vascular, em que há vasodilatação (aumento do diâmetro dos vasos sanguíneos), hiperemia (aumento no afluxo sanguíneo),e aumento da permeabilidade vascular. Assim, em decorrência a esta, existe um aspecto exsudativo, que consiste no edema (inchaço), o exsudato purulento (o pus) e desorganização das fibras colágenas.

Patologias decorrentes da mortificação pulpar

A proporção em que a reação inflamatória progride, a lesão que era essencialmente dentária passa também para a região circunvizinha ao dente, e o exsudato vai sendo colecionado num abscesso periapical. Por seguinte, têm-se muitas possibilidades:

  • O abscesso pode perpetuar-se lentamente frente a estímulos de baixa intensidade e se transformar numa lesão crônica como o cisto radicular.
  • A lesão poderá evoluir rapidamente de maneira a perfundir os tecidos duros até as fáscias, gerando transtornos mais sérios como o abscesso subperiósteo, empiema maxilar, linfadenopatiacelulitesepticemia e até mesmo a angina de Ludwig, que pode ser fatal se não tratada adequadamente.

 

WhatsApp chat