0 Item
(41) 3023-0800

Este vídeo de 6 minutos esclarece algumas dúvidas clínicas de 2 sistemas de implantes de zircônia (SISTEMAS DE IMPLANTES DE ZIRCÔNIA)

 

 

Sistemas de implantes de zircônia (Implantes Cerâmicos)
Implantes de zircônia podem ser fabricados em modelos de componente único e dois componentes20,32,48-50. Sistemas de componente único são aqueles que não necessitam de pilares. A parte transmucosa dos  mplantes de componente único é integrada ao corpo do implante. Sistemas de dois componentes apresentam uma parte que é inserida durante a primeira etapa da cirurgia e uma parte transmucosa que é unida ao  mplante durante um segundo procedimento51. Atualmente, nove sistemas de implantes de ZTP-Y estão disponíveis comercialmente: o SIGMA (Incermed, Lausanne, Suíça) com vários modelos de implantes Sigma;   Z-Systems (Oensingen, Suíça), com o seu implante Z-Look3; o Bredent (Bredent Medical, Senden, Alemanha) com o sistema de implante White Sky; o Ziterion, de componente único da Zit-Z e o de dois  omponentes Zit-Vario (Ziterion, Uffenheim, Alemanha); o sistema ReImplante (reimplante, Hagen, Alemanha); o sistema Goei system (Goei Inc, Akutsu-Hiroshima, no Japão); o sistema Konus (Konus Dental, Bingen,  lemanha); o Sistema CeraRoot (Iceberg Oral, Granollers, Barcelona, Espanha), com um implante de zircônia Ceraroot de componente único; o sistema de implante Zeramex (Dentalpoint AG Suíça Implant Soluções,  urique, Suíça); e o sistema de componente único Straumann Pure Ceramic (Straumann Basel, Suíca). Implantes de zircônia de único componente A utilização de implantes de peça única permite um procedimento  irúrgico sem retalho, minimamente invasivo e com o benefício da preservação dos tecidos moles18. Além disso, evita- -se a possibilidade de afrouxamento dos componentes e a coroa provisória pode ser  mediatamente cimentada após a inserção do implante17. Especialmente na região anterior, os implantes de peça única devem ser colocados na posição anatómica perfeita para reestabelecer a aparência estética da  estauração12. A localização da margem da restauração protética implanto suportada por implante de único componente pode ser definida por um preparo intraoral12. Tem sido relatado que o desgaste da  erâmica ZTP-Y pode levar a transformação da fase tetragonal em monocíclica, introduzindo microfissuras que influenciam negativamente suas propriedades mecânicas32. Corroborando esses estudos, Andreiotelli  e Kohal17 (2009) reportaram que a preparação in vitro de implantes de zircônia apresentou uma influência negativa estatisticamente significante sobre a resistência à fratura dos implantes.  Um estudo em cães52 ncontrou uma maior taxa de fratura para implantes de zircônia de único componente comparado com implantes de dois componentes. Dos sete implantes fraturados, seis eram de único componente. As falhas  pareceram durante o período entre a fase de cicatrização e 6 meses após o carregamento. Entretanto, a taxa de fratura pareceu depender do design do implante. Grassi et al.53 (2015) fizeram um estudo avaliando  adiograficamente e clinicamente pacientes reabilitados com implantes unitários de zircônia de corpo único com coroas provisórias em carga imediata. As coroas definitivas foram instaladas após 3 e  4 meses da  irurgia. Radiografias periapicais foram realizadas no momento da cirurgia, após 1 ano e após 5 anos para avaliar perda de osso marginal. Também foram avaliada profundidade  de sondagem, índice de  angramento,  ndice de placa e recessão gengival. Os resultados mostraram desempenho adequado para todos os parâmetros clínicos, concluindo que os implantes e coroas avaliadas apresentaram índices  atisfatórios de qualidade do tecido ósseo e moles. Implantes de zircônia de dois componentes Implantes de zircônia de dois componentes são preferíveis quando a estabilidade do implante não é alcançada na  olocação do implante. Além de permitir o procedimento de regeneração  óssea guiada12,55, os implantes de dois componentes minimizam a transmissão de cargas indesejadas durante a fase de cicatrização52.  utra vantagem é a diminuição do risco de infecção, já que o procedimento é realizado em duas fases e o implante fica submerso, ficando o tecido peri-implantar isolado do ambiente oral55. Em um estudo em  nimais,  ohal et al. 37 (2004) investigaram a osseointegração e as características dos tecidos moles peri- -implantares de implantes de zircônia personalizados de dois componentes e de implantes de titânio inseridos   m macacos. Após o período de 5 meses as amostras foram coletadas e preparadas para análise histológica. Os resultados demonstraram que não houve diferença estatisticamente significativa entre os grupos, e que os implantes de zircônia personalizados mostraram quantidade adequada de inserção de tecido moles e contato osso-implante. Kohal et al. 20 (2009) avaliaram a resistência a fratura de um protótipo  e implante de zircônia de dois componentes, após envelhecimento artificial. Os autores avaliaram três grupos. No grupo 1, implantes de zircônia de dois componentes foram reabilitados com coroas de zircônia  copings de zircônia folheadas com Triceram; Esprident, Ispringen, Alemanha). No grupo 2, os implantes de zircônia de dois componentes receberam coroas de Empress 2 (Ivoclar Vivadent AG, Schaan,  iechtenstein). Os  Rev Odontol Bras Central 2017; 26(79): 1-8 4

SISTEMAS DE IMPLANTES DE ZIRCÔNIA NA ODONTOLOGIA: REVISÃO DE LITERATURA
implantes, incluindo os pilares, nos dois grupos de zircônia foram idênticos. No grupo 3, controle, foram obtidos implantes de titânio nas mesmas características que os de zircônia. Os resultados mostraram elevado  úmero de falhas irreparáveis na cabeça dos implantes de zircônia sob cargas relativamente baixas. Portanto, os autores sugerem que a utilização clínica desses implantes deve ser questionada. Cionca et al.55  2014) avaliaram clinicamente a segurança e eficácia de um modelo de implante de zircônia de dois componentes (ZERAMEX(®) T Implant System) instalados em 52 pacientes. Sobre os implantes, foram cimentados  ilares de zircônia, e sobre eles cimentados coroas unitárias de cerâmica pura. Os casos foram acompanhados por cerca de 600 dias após instalação. Todos os pacientes foram reavaliados após 1 ano. A taxa de sobrevivência encontrada foi de 87% implantes. Todas as falhas foram o resultado de soltura asséptica, e não houve  implantes perdidos após o primeiro ano. Os autores concluíram que o sistema de  mplantes totalmente cerâmicos utilizados no estudo foram adequados quando utilizados na região posterior. Becker et al.56 (2015) avaliaram o desempenho clínico de implantes de zircônia de dois componentes ao  ongo de um período de até 2 anos. Cinquenta e dois pacientes receberam o mesmo tipo de implante e coroa na região posterior de mandíbula e maxila. Sobre os implantes foram utilizados pilares de fibra de vidro. A  axa de sobrevivência cumulativa foi calculada de acordo com o método de tabela de vida, e o teste de Kaplan-Meier foi utilizado para estimar a sobrevivência dos implantes em função. Um total de dois implantes  oi perdido após 8 meses em função. A taxa de sobrevida acumulada foi de 95,8%, e o tempo médio foi de 32,9 meses. Os autores concluíram que, dentro das limitações do estudo, os implantes de zircônia de dois  omponentes associados a pilares de fibra de vidro podem ser utilizado com sucesso na clínica odontológica. Recentemente, Spies et al.57 (2016) realizaram estudo avaliando a resistência a fratura de implantes de  ircônia submetidos a ciclagem termomecânica em ambiente úmido. Um total de 48 implantes de zircônia foi avaliado: 16 implantes de corpo único (A), 32 de dois componentes (16 parafusados-B e 16 cimentados-  ).  stes grupos foram divididos em dois subgrupos de 8 amostras. As amostras de subgrupos 1 (A1, B1, C1) não foram expostos a qualquer carga cíclica, enquanto que os subgrupos 2 (A2, B2, C2) foram expostas  0  ilhões de ciclos (98N). Em seguida, todos os implantes foram submetidos à carga estática até a fratura. Todos os implantes suportaram a fadiga termomecânica. Os resultados de resistência à fratura mostram que, após a fadiga termomecânica, os valores de resistência à fratura aumentaram signitivamente para os implantes do Grupo A (A1 / A2: 362/399 Ncm), o contrário do que ocorreu para os implantes Grupo B / C (B1 /  2:  98/346 Ncm; C1 / C2: 380/252 Ncm). Segundo os autores, os resultados mostraram que os sistemas de implante avaliados parecem ser capazes de resistir às forças de mastigação fisiológica em longo prazo. Avaliação clínica de implantes de zircônia

Fonte: acesse aqui

WhatsApp chat